"When I despair, I remember that all through history the way of truth and love has always won. There have been tyrants and murderers and for a time they seem invincible, but in the end, they always fall — think of it, always." Mohandas Gandhi
In a time of universal deceit - telling the truth is a revolutionary act. George Orwell

Sunday, October 14, 2007

OOXML em Portugal - CT 173 - Linguagem de descrição de documentos

Após diversas leituras sobre o caminho que teve em Portugal a aprovação do formato OOXML da microsoft, o qual foi tudo menos transparente, uma vez que a microsoft assumiu a presidência da comissão técnica criada para o efeito, ou seja foi juíz em causa própria, resolvi questionar algumas entidades que segundo notícias vindas a público teriam dado o seu apoio ao formato em análise.

As entidades que questionei como cidadão preocupado com as decisões que o meu país toma a nível internacional e até nacional, foram as seguintes:

  • CM Cascais
  • CM Santarém
  • ASSOFT
  • Instituto de Informática do Ministério das Finanças e Administração Pública
Para ser sincero não estava à espera que ninguém me respondesse, em Portugal estas coisas ficam sempre no segredo dos deuses, ainda para mais com a microsoft envolvida no assunto.

A verdade é que houve uma entidade que teve a amabilidade de me responder, foi o provedor da CM Cascais, o qual me informou que, e passo a citar:


"Exmo. Senhor,

Compete ao Provedor Municipal receber queixas/reclamações relativamente à actuação dos órgãos, serviços municipais, serviços municipalizados, empresas e fundações do Município de Cascais (arts. 1º e 10º do Regulamento do Provedor Municipal).

A questão que V. Exª. coloca, não está, como é evidente, no âmbito das minhas competências. Assim, alvitroque dirija a sua sugestão ao serviço camarário competente, neste caso concreto à DINC - Divisão de Informática."


Pois bem, penso eu, vamos então enviar a mesma questão à "Divisão de Informática" para tentar esclarecer a minha dúvida.

No dia 24 de Setembro de 2007 chega a resposta, mas revelou-se mais interessante do que eu esperava é que segundo o "Chefe da Divisão de Sistemas de Informação e Comunicações" da CM Cascais e passo a citar:

"Em resposta ao seu e-mail, cumpre-me desde logo salientar que a questão nele colocada se baseia apenas no post de um blog,
http://blog.softwarelivre.sapo.pt/2007/07/31/diz-nao-ao-ooxml-13/ , facto que não sendo despiciendo, presumo que fundamente a questão que nos endereça.
Em complemento à principal questão constante no referido blog e passo a citar " []e do lado de standards sem interoperabilidade garantida estavam:
  • ADRAL
  • ASSOFT
  • Câmara Municipal de Santarém
  • Câmara Municipal de Cascais
  • [...]"
Sobre uma reunião que decorreu, organizada pela "Microsoft", importa salientar que, na "acta" da referida reunião (http://wiki.ansol.org/CT-173-LDD-Meeting-002)
não consta nenhum participante da Câmara Municipal de Cascais.
Efectivamente, o Municipio de Cascais não emitiu nenhum tipo de orientação contra ou a favor da especificação OOXML através dos seus representantes com competência na matéria, pelo que iremos averiguar como aparece o nome do Municipio associado desta forma a esta questão, dando-lhe posteriormente nota dessa situação."

O estranho nesta resposta é que segundo o "Chefe da Divisão de Sistemas de Informação e Comunicações", o "Municipio de Cascais não emitiu nenhum tipo de orientação contra ou a favor da especificação OOXML através dos seus representantes com competência na matéria", mas se não foi a CM Cascais, nomeadamente a sua "Divisão de Sistemas de Informação e Comunicações", então quem foi?

É que segundo informação constante no site do Instituto de Informática do Ministério das Finanças e da Administração Pública, a CM Cascais foi representada pelo Sr.
Miguel Pinto Luz.

Qual foi então o voto do representante da CM Cascais à "Comissão Técnica CT 173"?
Estava mandatado por quem e deveria votar como?

Vou aguardar por mais e melhores explicações para todo este caso muito mal conduzido em Portugal pelas entidades que deveriam zelar pelos interesses dos cidadãos e consequentemente do País.

RJ

Powered by ScribeFire.

3 comments:

Rui Seabra said...

Miguel Pinto Luz foi "O Vogal dos Parques Infantis" da Junta de Freguesia de Alcabideche em 2002

http://www.jf-alcabideche.pt/boletim/Boletim_abril_2002.pdf

"O Vogal da Juventude"da Junta de freguesia de Alcabideche em 2005
http://www.jf-alcabideche.pt/boletim/Boletim_julho_2005.pdf

Curiosamente não aparece na lista do executivo Municipal: http://www.cm-cascais.pt/Cascais/Autarquia/Executivo_Municipal/

Confirmo que se apresentou como representando a CM de Cascais na CT-173.

Bruno said...

Tinha piada esta e outras situações serem averiguadas. Mas tenho enormes dúvidas em relação a isso.

calmex said...

Ainda bem que me parece que existe realmente tramoia no que toca a este assunto. so revela que, por um lado, o voto de portugal nao deve ser levado a serio visto que nao foi uma tomado segundo criterios correctos, para alem de revelar que o nosso sistema de representaçao e levado muito na obscuridade. É obvio que envergonha qualquer cidadao este tipo de situaçoes, mas envergonhava-me mais se o voto fosse tomado com uso correcto das instituiçoes. Fico satisfeito por termos uma mafia ao inves de termos gente responsavel nos orgaos institucionais. Pelo menos assim fazem algo de acordo com as "motivaçoes" correctas :)